Loja
Telefone+55 11 4025-3000
Universidade da Inteligência

Insatisfação – transformação e evolução

Insatisfação – transformação e evolução

A insatisfação faz parte do ser humano. O que não percebermos muitas vezes, é o que isso é capaz de fazer por cada um de nós! Insatisfação – transformação e evolução

Insatisfeitos com as cavernas, procuramos outros tipos de habitação.

Insatisfeitos com a comida fria, criamos o fogo.

Insatisfeitos com a escuridão, criamos a lâmpada elétrica.

Insatisfeitos com a distância, criamos os aviões.

Insatisfeitos com o casamento, criamos o divórcio

Insatisfeitos com o trabalho, pedimos demissão

Insatisfeitos com a verdade, criamos a mentira.

Insatisfeitos com a nossa vida, vergonhosamente arranjamos desculpas ou culpados, normalmente encontramos algo ou alguém em quem colocar a culpa.

Insatisfeitos com a realidade, trabalhamos duro para transformá-la.

A insatisfação pode ser uma grande ferramenta de evolução.

A escolha é sua. Compor o problema ou a solução. Continuar buscando novos caminhos e outras possibilidades faz parte da conduta de quem tem o que chamamos de mente flexível. Pessoas dispostas a aprender com novas experiências, a maioria desconhecem a neurofisisologia por trás dessa escolha. Hoje com o que chamamos de plasticidade cerebral, podemos nos tornar mais capazes, mais eficazes quando estamos expostos a novas experiências. Sendo assim podemos de fato transformar nossa realidade buscando constantemente padrões mentais mais flexíveis, continuando a investir no desenvolvimento de nossas habilidades e competências.

A insatisfação nada tem a ver com ingratidão ou revolta, mas sim com uma grande necessidade de buscar novos caminhos, novas possibilidades. Foi ela a responsável por boa parte da evolução da humanidade.

Aprender – crescer e mudar. Dentro desse conceito da tecnologia comportamental convido você a implementar esse processo em sua vida. Nascemos para realizar.

Na pirâmide de Maslow encontramos a autorrealização no topo, traduzindo a necessidade humana de fazer melhor, e ele assim define a importância desse conceito: “O que um homem pode ser, ele deve ser.” A isso chamamos de autorrealização.